Leia
Home / Amazonas / Senador Eduardo Braga defende mais apoio ao festival de Parintins

Senador Eduardo Braga defende mais apoio ao festival de Parintins

O senador Eduardo Braga (PMDB/AM) prestigiou, no sábado (01/07), a segunda noite do 52º Festival Folclórico de Parintins. Há 34 anos acompanhando ininterruptamente o evento, ele acredita que não se trata mais apenas de uma festa. Mas, sim de uma atividade econômica geradora de emprego e renda ao município, através da cultura.

“O restaurante vende mais. Logo, precisa de mais gente para trabalhar. O pescador vende mais peixe. O tricicleiro tem mais passageiros. Então, ganha mais dinheiro. Assim como os mototaxistas e taxistas. Há o fomento em vários segmentos”, exemplificou o senador.

Mesmo assim, Eduardo Braga acredita que o festival precisar receber mais atenção para ter como se recuperar e movimentar de maneira mais intensa a economia. Ano passado, o Governo do Amazonas cortou os recursos destinados aos bumbás Caprichoso e Garantido.

Questionado sobre a evolução dos bumbás na arena, ele avaliou a apresentação do boi Caprichoso como técnica, por ficar atento a performance dos itens, e do boi Garantido como de pura emoção, raça e tradição. “Quem está de parabéns é o povo de Parintins. Foi mais uma bela festa. Independentemente de ser ano de política, de eu estar com ou sem mandato, eu sempre fui apaixonado por Parintins e pelos bois”, destacou o senador.

Pecuaristas – O senador Eduardo Braga esteve reunido com representantes dos pecuaristas de Parintins para ouvir as demandas do setor. Entre as dificuldades relatas está o pagamento da taxa da Guia de Trânsito Animal (GTA), cobrada pelo governo quando é necessária a realização do transporte do gado da várzea para terra firme e vice-versa, bem como o subsídio da vacina para febre aftosa.

Os pecuaristas clamaram também por políticas de produção direcionadas ao interior do Amazonas, voltados ao apoio e extensão rural. “Hoje, o pecuarista está abandonado pelo Governo do Estado. Os pecuaristas estão sendo cobrados por um serviço que não deveria ser cobrado. O Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Amazonas) está desestruturado”, criticou o senador.

Outra preocupação levada pelos pecuaristas ao senador é que busquem juntos uma solução para o abatedouro da cidade, que há alguns dias está fechado por conta da precariedade nas condições de funcionamento, o que pode deixar o município sem o produto essa semana. “O abatedouro não funciona sábado e domingo, desabastecendo a cidade por um determinado período. Isso aumenta o preço da carne. Essa semana pode faltar carne em Parintins”, revelou Braga.

A pecuária é uma das atividades econômicas mais importantes do Baixo Amazonas. Para o senador, o interior precisa da presença do Estado permanentemente. “ É preciso atitude para que sejam realizadas ações para tirar o Amazonas da crise que se instalou no estado”, concluiu.

Share This:

x

Veja Também

Luiz Castro propõe política de moradia de interesse social

O Governo do Estado investe míseros 0,03% do Orçamento em habitação no ...